1 1
Índice Ceagesp permanece estável nos últimos seis meses

Pescados e frutas fazem o indicador subir ligeiramente em junho

Nos primeiros seis meses deste ano, o índice da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) permaneceu praticamente estável, com oscilação negativa de apenas 0,04%. Em junho, teve ligeira elevação de 0,08%, puxada pelos aumento de 13,29% no setor de pescados e 0,59% no de frutas. Primeiro balizador de preços de alimentos frescos no mercado, o índice Ceagesp registra a variação de preços no atacado de frutas, legumes, verduras, pescado e diversos. 

Ao longo do semestre, os meses de janeiro e fevereiro foram marcados por fortes altas em praticamente todos os setores, em razão, principalmente, das adversidades climáticas (excesso de chuva e altas temperaturas). A partir de março, com o clima favorável, o índice apresentou quedas crescentes e consecutivas, com retração nos preços de vários setores, interrompidas no mês passado. O indicativo acumula elevação de 7,43% nos últimos 12 meses.

O setor de verduras foi o mais prejudicado pelo clima desfavorável para o cultivo das hortaliças no primeiro bimestre. Como no período ainda havia aumento da demanda, o setor alcançou em fevereiro o maior índice: 33,19%. Já a partir de março, o setor começou a recuar, encerrando o semestre com queda acumulada de 31,65%, praticamente neutralizando as altas registradas no início do período.

As frutas também colaboraram para elevação acumulada de 7,08% no semestre, impulsionado, principalmente, pela alta de preços da laranja - produto com grande representatividade no índice – em período de entressafra até o fiml de abril. A alta na cotação do suco de laranja nos mercados internacionais contribui para a tendência, mesmo em plena safra, de preços estáveis.

Por outro lado, o setor de pescados, mesmo com a alta de 13,29% em junho, fecha o semestre com queda acumulada de 1,29%.

Índice - O limão (31,88%), mamão papaya (22,56%) e goiaba (9,38%) foram as frutas que tiveram alta nos preços em junho. Já o morango (34,54%), maracujá azedo (-22,56%), caju (-16,69%) e figo (-8,21%) sofreram as principais quedas. No setor de pescado, as altas concentraram-se na pescada (32,10%), robalo (21,54%), cação (13,03%) e tilápia (5,7%). 

Os setores de diversos (14,30%), verduras (13,77%) e legumes (5,56%) mantiveram as baixas nos preços. O recuo do setor de diversos foi impulsionado principalmente pela redução no valor da batata - batata comum (31,93%) e batata lisa (29,64%). Já o setor de verduras permaneceu em queda acentuada, por conta do preço do repolho (-33,74%), almeirão (-25,7%), agrião (-21,75%) e espinafre (-26,25%). E o grupo de legumes, as maiores quedas foram na beterraba (-22,64%), na cenoura (-18,78%) e no tomate (-23,8%). 

Fonte: Mapa / *com informações da Ceagesp

 

 

Busca:
Dólar:
Euro:
Revista ABCSEM
Fone/Fax: (19) 3243 6472
abcsem@abcsem.com.br
Av. Papa Pio XII, 847 sala 22 - Jardim Chapadão
Campinas - SP - CEP 13070-091
Horário de Funcionamento:
Segunda à sexta das 8h às 17:30h
A ABCSEM
Agenda
Associados
Informações do Setor
Legislação
Serviços
Parceiros
Sala de Imprensa
Notícias
Publicações
Associe-se
Contato
© 2020 - ABCSEM - Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas - webdesign - CG Propaganda