1 1
ESALQ comemora 109 anos

Para comemorar os109 anos de existência, a ESALQ programou uma atividade que concretiza o sonho de pessoas que saíram do interior e foram viver em grandes centros sem perder suas raízes.

Um século e quase mais uma década de história. De um cidadão que doou suas terras ao treinamento e aperfeiçoamento de profissionais; da tradição ao avanço rápido da tecnologia e da ciência; das carteiras escolares à transferência de saberes à sociedade; de 7 a 12.418 alunos formados; da Escola Prática São João da Montanha à Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (USP/ESALQ); complexo de ensino, pesquisa e extensão de elevada produção acadêmica e intelectual.

Pelas mãos do músico Ivan Vilela, esse sonho se concretizou em forma de orquestra, reunindo violeiros que desde 2001 presenteiam o público com apresentações como esta que está prestes a acontecer no Teatro Municipal Dr. Losso Netto.

Marcado para 2 de junho, às 20h30, o espetáculo que celebrará o aniversário da instituição com a Orquestra Filarmônica de Violas, será uma oportunidade para os interessados conhecerem a beleza e a simplicidade do universo caipira desta que congrega 20 violeiros afinados com a essência da música caipira autêntica.

Com nove anos de estrada, a Filarmônica de Violas apresenta novos e elaborados arranjos para clássicos do cancioneiro popular em rico repertório que contemplará Vide, vida marvada (Rolandro Boldrin), Estrada da Vida (Zé Rico), Canoeiro (Alocin e Carreirinho), Primavera Pantaneira (Messias da Viola e Vinicius Alves), Romaria (Renato Teixeira), Chalana (Mario Zan e Arlindo Pinto), Rio de Lágrimas (Tião Carreiro, Piraci e Lourival dos Santos), Você vai gostar – Casinha branca (Elpídio dos Santos), Almeria (Ighor Águila), Cabocla Tereza (João Pacífico e Raul Torres), O menino da porteira (Teddy Vieira e Luizinho), Luar do sertão (Catulo da Paixão Cearense e João Pernanbuco) e Pula fogueira (A. Marinho e João Bastos Filho).

A apresentação é permeada por "causos", poemas e uma breve história da vinda da viola de Portugal para o Brasil, além de ser um verdadeira aula de cultura caipira, onde integrantes da orquestra expõem fatos históricos que mostram a riqueza da formação dessa cultura genuinamente brasileira. Fatos, por exemplo, como a origem do linguajar caipira que remonta ao Nheengatu, o idioma falado durante os três primeiros séculos da colonização brasileira.

A realização é da Comissão (CCEx) e do Serviço (SVCEx) de Cultura e Extensão Universitária, Seção de Atividades Culturais (SCAC) e Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz (FEALQ), com apoio da Coordenadoria do Campus Luiz de Queiroz (CCLQ), Cultura Artística, Assessoria de Comunicação (ACOM) da ESALQ, Secretaria Municipal de Ação Cultural e Teatro Municipal de Piracicaba.

O ingresso pode ser retirado na SCAC, ou diretamente na bilheteria do Teatro, em troca de itens de higiene pessoal (sabonete e creme dental - não obrigatório). Os donativos, que devem ser entregues somente no Teatro, serão encaminhados para a Ala Masculina da Diocese de Piracicaba.

Informações pelo telefone (19) 3429.4392 ou pelo e-mail scac@esalq.usp.br

Fonte: Assessoria de Imprensa Esalq
 

Busca:
Dólar:
Euro:
Revista ABCSEM
Fone/Fax: (19) 3243 6472
abcsem@abcsem.com.br
Av. Papa Pio XII, 847 sala 22 - Jardim Chapadão
Campinas - SP - CEP 13070-091
Horário de Funcionamento:
Segunda à sexta das 8h às 17:30h
A ABCSEM
Agenda
Associados
Informações do Setor
Legislação
Serviços
Parceiros
Sala de Imprensa
Notícias
Publicações
Associe-se
Contato
© 2020 - ABCSEM - Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas - webdesign - CG Propaganda