top of page

Mariana Barreto assume como nova Secretária Executiva da ABCSEM

Com vasta experiência no setor, ela assume com boas perspectivas de realizar um trabalho que leve a associação a atingir seus objetivos, enquanto importante representante da Cadeia de Sementes e Mudas de Hortaliças, Flores e Ornamentais

 


Recentemente, a Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas (ABCSEM), deu as boas-vindas à Mariana Barreto, que a partir de agora atuará como Secretária Executiva da entidade, representando a associação em eventos, reuniões e comitês de trabalho e demais atividades relacionadas, assim como dará encaminhamento aos pleitos dos associados e do setor como um todo.  Natural de Brasília (DF), cidade onde reside, Mariana é graduada em Agronomia pela Universidade de Brasília (UnB), possui Mestrado em Agronomia, com foco em Produção Sustentável e Qualidade de Sementes, além de cursos complementares à sua formação.

 

A profissional reúne mais de 10 anos de experiência técnica e regulatória na área de sementes e biotecnologia. Já atuou como responsável pelo desenvolvimento de projetos de pesquisa, na área de produção e tecnologia de sementes, além de ter tido longa atuação junto à Associação Brasileira de Sementes e Mudas (ABRASEM), como assessora técnica e assessora da diretoria. Experiências estas que lhe proporcionaram a oportunidade de conhecer a fundo diferentes temas que abrangem o setor sementeiro (tecnologia, biotecnologia, tratamento de sementes, fitossanidade, importação, exportação) dentro dos diversos tipos de cultivos agrícolas e seus gargalos, assim como de conhecer a legislação nacional e internacional de sementes e participar ativamente das discussões de várias normativas importantes.

 

Em entrevista, publicada a seguir, Mariana conta um pouco mais sobre sua trajetória profissional, além de abordar os desafios, bem como as oportunidades e perspectivas para o setor. Acompanhe!


______________________________________________________________________________________________


ENTREVISTA


Como você pretende agregar sua experiência no setor à entidade enquanto Secretária Executiva da ABCSEM?


Desde universitária direcionei minha carreira para a área de produção e tecnologia de sementes e sustentabilidade. Os mais de dez anos de atuação nessas áreas me proporcionaram a oportunidade de conhecer diferentes temas que abrangem o setor produtivo e seus desafios, por meio de uma visão ampla do sistema como um todo, e de entender a importância dos papéis da Indústria, do Governo e das entidades públicas e privadas para o desenvolvimento do setor. Por meio da experiência com representação institucional, participando de reuniões técnicas e comitês de entidades nacionais e internacionais, assim como, junto aos órgãos reguladores, pude construir uma rede de relacionamento baseada no trabalho em parceria e sempre prezando pela ética e respeito mútuos.


O conhecimento sobre a cadeia produtiva, seus stakeholders e reguladores; sobre a legislação nacional e internacional de sementes e mudas, assim como, possuir certo conhecimento técnico a respeito dos principais assuntos da agenda da ABCSEM, acredito que são pontos que facilitarão a compreensão e o encaminhamento de demandas e ações no dia a dia da associação.


Todo o caminho já percorrido me trouxe hoje até aqui e, como Secretária Executiva da ABCSEM, espero poder fazer frutificar esse aprendizado e contribuir para atingir os objetivos da associação e também para o desenvolvimento do setor como um todo.


Em sua opinião, quais são os principais desafios atuais do setor de sementes e mudas de hortaliças e flores?


Acredito que parte dos desafios atuais são também antigos, e não são poucos. O setor de produção de sementes e mudas, como um todo, enfrenta desafios que vão desde a garantia de qualidade, passando por aspectos fitossanitários, de qualidade fisiológica, armazenagem, tratamento de sementes, entre outros; até a grande luta contra o mercado de produção e comercialização irregular. No tocante ao segmento de hortaliças, flores e ornamentais, assuntos relacionados à importação e exportação, como requisitos fitossanitários, Análise de Risco de Pragas (ARPs), novas origens, amostragem e credenciamento de laboratórios de análise, por exemplo, estão constantemente na agenda de trabalho da associação e fazem parte do dia a dia das empresas associadas.

Com relação aos novos desafios, acredito que aqueles relacionados aos efeitos adversos das mudanças climáticas exigirão do mercado de sementes e mudas um redirecionamento na pesquisa geradora de novas tecnologias ou na produção, buscando um sistema eficiente de abastecimento.


Atualmente, quais são as principais oportunidades e perspectivas para o setor?


O mercado de hortaliças está em constante expansão, basta observar a variedade e qualidade dos produtos disponíveis. Da mesma forma acontece também com o mercado de flores, que possui grande peso e participação na economia do país, sendo responsável pela geração de milhares de empregos diretos e indiretos. Trata-se, enfim, de um segmento que cresce anualmente em relevância, produtividade e tecnologia.

Diante dos desafios que o setor enfrenta é importante atentar-se às oportunidades que vão surgindo, sejam elas oportunidades de mercado ou de incentivo ao desenvolvimento de novos materiais, seguindo uma estratégia que envolva a geração de tecnologias inovadoras, que atendam à realidade ambiental e social atuais, assim como, à viabilização de alternativas que busquem a redução e/ou substituição das necessidades de importação.


Como você vê a importância da parceria público-privada para o setor?


Considerando os desafios e as perspectivas para o desenvolvimento do setor de sementes e mudas de hortaliças, flores e plantas ornamentais, as parcerias público-privada não podem deixar de ser citadas como grande impulsionador de desenvolvimento. Unindo expertise e demandas da indústria e do mercado consumidor, com o conhecimento técnico e científico das universidades, fundações de pesquisa ou da própria Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), temos um interessantíssimo sistema em que todos ganham e no qual vemos um real melhoramento da produção agrícola e da qualidade dos produtos consumidos pela sociedade em geral. Valorizando cada vez mais esses projetos, caminhamos para alcançar bons resultados em ciência, inovação, transferência de tecnologia e desenvolvimento.

101 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page